Em despedida da Série D, Portela diz que Vilhena jogou "honrosamente"


Lobo do Cerrado cumpriu último jogo do Brasileiro contra o Remo, no estádio Mangueirão, no Pará, neste domingo. Leão venceu por 3 a 0.


Vilhena deu adeus a Série D 2015 neste domingo, com uma derrota por 3 a 0, para o Remo no estádio Mangueirão. No entanto, a equipe sai com o sentimento de dever cumprido, após todos os problemas que acompanharam o clube durante toda a competição. Após o término do jogo, em entrevista a Rádio Clube do Pará, o lateral Portela disse que o time terminou a competição "honrosamente".
- Sabíamos de todas os problemas extracampo. E não tem como dizer que não reflete dentro de campo. Terminamos honrosamente - disse o lateral.
Sem conseguir muito espaço e com mais de 27 mil torcedores contra, o Vilhena entrou em campo, mais uma vez, com apenas João Victor no banco de reservas. E aos 26 minutos do segundo tempo, o zagueiro Vinícius acertou Léo Paraíba em lance sem bola, sendo expulso da partida. Cartão vermelho, considerado por Portela, como desnecessário.
- A expulsão complicou. Não precisava. Complicou bastante, mas foi um jogo pegado e jogamos bem. Fechamos honrosamente - repetiu Portela.
Com o resultdo de hoje, Vilhena permaneceu com seis pontos e terminou na quarta colocação.
14 setembro 2015
Editado por Patricky Gabriel Sarturi, Postado por: Pedro Tozzo

Remo venece VEC por 3 a 0 e garante o primeiro lugar do Grupo 1 da Série D


Leão paraense agora aguarda o adversário da fase eliminatória da competição. Léo Paraíba, Sílvio e Chicão balançaram as redes com assistências de Eduardo Ramos.


Avassalador, o Remo não tomou conhecimento do Vilhena, venceu por 3 a 0 e garantiu o primeiro lugar do Grupo 1 da Série D do Campeonato Brasileiro. O time de Belém foi superior durante toda a partida, sobretudo pela tarde inspirada de Eduardo Ramos que, apesar de não ter marcado gols, foi quem deu as assistências para Léo Paraíba, Sílvio e Chicão. O confronto deste domingo aconteceu no Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão.
Sem chances de classificação, o VEC apenas cumpriu tabela. O Leão, porém, vai iniciar a série das eliminatórias que podem levar o clube ao tão sonhado acesso à Série C do próximo ano. O primeiro confronto, ainda sem data, só será definido após o final da rodada e confirmação oficial pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).
Remo superior nos dois tempos
Mais qualificado tecnicamente, o Remo tomou conta do jogo no primeiro tempo, explorando o meio-campo e o ataque. Antes dos 25 minutos, o time teve três chances reais de marcar, mas aproveitou apenas uma delas, com uma pintura de Léo Paraíba. O VEC, no entanto, se segurou como pode e teve apenas duas oportunidades de perigo com Souza, exigindo um pouco do goleiro Fernando Henrique.
O Leão voltou para o segundo tempo aceso e partiu para cima do adversário logo no começo. Eduardo Ramos, por pouco, não mandou para o fundo das redes após receber cruzamento na medida. O cenário do confronto seguia semelhante ao primeiro tempo: com o Remo ditando o ritmo e o Vilhena esperando os paraenses em seu campo de defesa.
Com mais volume de jogo, porém, com o placar estagnado, Cacaio então apostou na velocidade de Aleílson, que entrou na vaga de Rafael Paty. O time ganharia em mobilidade e técnica, apesar do cansaço aparente de Léo Paraíba, que tem as mesmas características. O gol, então, se tornou questão de tempo. Em toque de letra de Eduardo Ramos para Sílvio, o garoto ampliou a vantagem do Leão, e Chicão deu números finais: 3 a 0.         
Editado por Patricky Gabriel Sarturi, Postado por: Pedro Tozzo

Técnico do VEC apela por patrocínio para time viajar e cumprir jogo da D


Marcos Birigui garante que se alguém ajudar o time rondoniense, ele reunirá os jogadores para ir até Belém e cumprir enfrentar o Remo pelo grupo A1, no domingo.


A despedida do Vilhena da Série D do Campeonato Brasileiro está marcado para o próximo domingo, contra o Remo, em Belém, capital paraense. Porém, sem dinheiro e quase sem jogadores, os treinos estão suspensos e o time não tem certeza se viaja para cumprir tabela, já que não tem chances de classificação para a próxima fase. Ciente do caos que vive o Lobo do Cerrado, o técnico Marcos Birigui faz um apelo por patrocínio para que a equipe possa cumprir o último jogo do grupo A1 e em seguida os jogadores possam retornar para suas casas.

- Aquilo que nós prometemos a nossa torcida foi cumprido: que jogaríamos na frente deles contra o Nacional-AM. Esta seria a última partida desses jogadores. A nossa situação é crítica, só quem está aqui dentro sabe que é. Muita gente não acredita, mas não temos jogadores, não temos alimento, nós chegamos ao nosso limite. Essa semana não houve treinamento e, a não ser que apareça algo extra, alguém que queira patrocinar a gente para irmos para Belém, não temos como ir para o jogo. Os jogadores estão procurando passagem, indo atrás do presidente para ir embora para as suas casas porque o sofrimento é muito grande e ninguém aguenta mais sofrer - afirma Birigui.
Com uma campanha irregular, somando apenas seis pontos, o Vilhena perdeu patrocinadores e os salários dos jogadores estão atrasados cerca de quatro meses. Por uma denúncia na Justiça do Trabalho, o clube teve o acesso aos sistema da CBF para cadastro de novos jogadores bloqueado. Além disso, alguns atletas deixaram o time, como o atacante Cabixi e o volante Maxsuel. E no último jogo, quando empatou com o time amazonense, Tuquinha saiu machucado, Dourado foi expulso, e João Victor, apesar de ter entrado em campo, ainda está lesionado. Com isso, o plantel que já estava reduzido, caiu de 13 para 11 jogadores.
"Muita gente não acredita, mas não temos jogadores, não temos alimento, nós chegamos ao nosso limite. A não ser que apareça algo extra, alguém que queira patrocinar a gente para irmos para Belém, não temos como ir para o jogo" - Marcos Birigui
- Hoje nós temos 11 jogadores, já contando com o garoto João que também está machucado. É um momento crítico. Alguns jogadores já estão tentando ir embora. Me parece que o Souza tem um carro próprio e está indo embora para Porto Velho, então ficaríamos com dez. Ninguém mais acredita no Vilhena e nós estamos tentando. Eu fiz de tudo para tentar sobreviver. Trabalhei sem salário, os jogadores estão todos aqui sem salário há mais de quatro meses e chegou no limite. Eles não querem mais passar por isso, chegar até Belém e depois ser abandonado - diz o treinador. 
Sobre a viagem, Birigui diz que é praticamente certa a desistência, já que o grupo não tem dinheiro para alimentação. Na viagem até Boa Vista, segundo o técnico, o grupo fez um percurso que durou cerca de 24 horas.
- Eu pedi para a direção falar com o pessoal de Belém, estão vendendo ingresso e dificilmente os jogadores vão, só se aparecer um elemento muito novo. Se aparecer alguma novidade vamos tentar juntar os 11 para jogar, caso contrário encerrou aqui a nossa participação e vamos tentar agora viabilizar as passagens para a gente ir para as nossas casas. Eu estou pedindo comida, pedindo carne, arroz, feijão, alguns têm nos ajudado muito, mas nós estamos no limite. Não adianta fazer uma viagem dessa maneira, só se a gente conseguir patrocínio até amanhã. Aí eu vou tentar juntar esses jogadores que nem treinando estão mais para nós ir lá e honrarmos. Eu gostaria de fechar com chave de ouro jogando no Mangueirão para 40 mil pessoas. Infelizmente vai ser prejudicado tanto o Remo como o Vilhena - finaliza Birigui.
Vilhena e Nacional-AM no Portal da Amazônia (Foto: Eliete Marques)Poucos torcedores compareceram ao jogos Vilhena e Nacional-AM no Portal da Amazônia (Foto: Eliete Marques)
11 setembro 2015
Editado por Patricky Gabriel Sarturi, Postado por: Pedro Tozzo

Autor do 2º gol do VEC, João Victor diz que pediu para jogar mesmo com dor

Meia tem apenas 18 anos e é formado na base do Lobo do Cerrado. Ele já tinha jogado contra o Rio Branco-AC, mas não tinha balançado as redes na Série D.


O meia João Victor tem sido a válvula de escape do técnico Marcos Birigui. Aos 18 anos, e formado na base do Vilhena, é ele quem está sempre no banco de reservas diante da escassêz de jogadores que o time vem enfrentando. No último domingo, o garoto mostrou amadurecimento e pediu para jogar, mesmo sentindo dores. A oportunidade surgiu no segundo tempo quando, aos 16 minutos, ocupou o lugar de Dourado. E aos 35, Joãozinho, como é conhecido, marcou segundo gol do Lobo do Cerrado.
- Realmente estava sentindo dor no tornozelo. Mas pedi pro professor pra eu entrar uns 30 minutos. Graças a Deus pude entrar nesse tempo e fazer um bonito gol. Fiquei sem treinar a semana, já pra tentar sarar o mais rápido pra esse jogo. E quando cheguei, ainda estava realmente doendo um pouco, mas nada que atrapalhasse. Conseguir correr bem, senti bem pouca dor e graças a Deus deu tudo certo - afirma João Victor.
O meia já tinha entrada como titular no jogo contra o Rio Branco-AC, na capital acreana, quando perdeu diversas oportunidades de fazer o gol. Na ocasião, ele formou a dupla de ataque com Souza, que também não conseguiu balançar a rede adverária. No último domingo, dos dois jogadores foram os autores dos gols do Vilhena no empate com o Nacional-AM.
10 setembro 2015
Editado por Patricky Gabriel Sarturi, Postado por: Pedro Tozzo

"Fecha com chave de ouro", diz Birigui sobre empate do VEC e Naça, em casa


Treinador acredita que apesar de todas as dificuldades, o último jogo da Série D no Portal da Amazônia agradou ao torcedor.



Na última oportunidade de jogar em casa, diante do torcedor, apenas 43 pagantes assistiram ao duelo entre Vilhena e Nacional-AM pela nona rodada da Série D do Campeonato Brasileiro. Já desclassificado e apenas cumprindo tabela, o Lobo do Cerrado não começou bem, mas o técnico Marcos Birigui corrigiu os erros no intervalo e poderia ter saído do estádio Portal da Amazônia nesta domingo, com uma vitória no lugar do empate. Mesmo assim, Birigui garante que gostou do resultado.
- Se despediu do torcedor com chave de ouro. Não fez um bom primeiro tempo. Aqui no vestiário consertamos algumas coisas e voltamos para um segundo tempo totalmente diferente. Fez a virada, tomou um gol, mas poderia ter feito três... quatro. Perdemos chances.Um pênalti que o juiz não marcou, que é uma vergonha, mas está bom. Acho que fecha com chave de ouro na frente do seu torcedor - afirma o treinador.
O Vilhena se despede da Série D no próximo domingo, diante do Remo, no estádio Mangueirão, no Para. Com muitas dívidas e sem dinheiro, não há certeza do time embarcar para o confronto.
Editado por Patricky Gabriel Sarturi, Postado por: Pedro Tozzo

Após derrota, VEC volta a treinar e garante que enfrenta o Nacional-AM


Sem reservas disponíveis, o Lobo joga no dia 6 de setembro às 18h30 (de Brasília) no Portal da Amazônia. Capitão Edilsinho diz que por ser casa, time vai jogar.


A semana não foi fácil para o Vilhena. Com problemas internos e financeiros, o time conseguiu as passagens para o jogo da Série D contra o Náutico-RR pouco antes da partida no domingo. Na volta, teve que encarar um longo percurso e só chegou em casa na madrugada da terça-feira (1). Cansados, os jogadores só conseguiram retomar os treinos na manhã da quarta-feira, e se preparam para a disputa contra o Nacional-AM em casa. 
Sem chance de classificação para a próxima fase do Brasileirão, o clube entra em campo para cumprir tabela. De acordo com o atacante Edilsinho, o time está empenhado em terminar bem o campeonato, já que depois disso, ninguém sabe qual será o futuro do VEC. 
- A nossa preocupação, por tudo o que a gente está vivendo, é conseguir terminar o campeonato. Como o próximo jogo é em casa a gente vai. Já contra o Remo, que é na casa deles, fica mais difícil. O clube está em uma situação difícil financeiramente e não temos como bancar a viagem para fora. Mas em casa não temos porque não ir, e se Deus quiser vamos fazer um bom jogo. 
Náutico-RR x Vilhena, Série D (Foto: Nailson Wapichana)Na rodada anterior o Náutico-RR venceu o Vilhena por 2 a 1 (Foto: Nailson Wapichana)
Os treinos não tem mais o mesmo ritmo de antes. Sem salário e praticamente sem reservas, os atletas precisam lidar com o cansaço. Para a próxima partida, Lucas Andrade e Dourado não devem entrar em campo por causa de lesões ocasionadas no jogo contra o Náutico-RR.
- A viagem foi muito longa, muito desgastante. Chegamos em Vilhena 2h da manhã de terça-feira e só conseguimos voltar a treinar hoje. De manhã fomos para a academia e a tarde treino no campo. Estamos com o Lucas e o Dourado machucado então para treino só estão indo 11 a 12 jogadores, não dá para o treinador fazer muita coisa com isso, mas nós estamos tentando.
O jogo contra o Nacional-AM será no dia 6 de setembro às 18h30 (de Brasília) no Portal da Amazônia. Com cinco pontos, o Lobo do Cerrado está em terceiro lugar no grupo A1. No entanto, não tem chance de alcançar o Remo-PA, que está com a segunda posição e 13 pontos.

04 setembro 2015
Editado por Patricky Gabriel Sarturi, Postado por: Pedro Tozzo

Árbitro carioca apita o jogo entre Vilhena e Nacional-AM, pela Série D


Rodrigo Carvalhães estará no apito e terá auxiliado pelos assistentes Arnildo Lino dos Santos e Jonathan Antero Silva, ambos de Rondônia.


Vilhena e Nacional-AM se reencontram no próximo domingo (6), pela nona rodada da Série D do Campeonato Brasileiro. Desta vez, o jogo será no estádio Portal da Amazônia e os dois apenas cumprem tabela. Para comandar o duelo, o árbitro carioca Rodrigo Carvalhães será o dono do apito. Ele será auxiliado por Arnildo Lino e Jonathan Antero, ambos de Rondônia.
Com cinco pontos, oito a menos que o Rio Branco-AC, e podendo chegar somente a 11, o Lobo do Cerrado não tem mais chances de classificação do grupo A1. Já o Nacional-AM é o lanterna do grupo, com quatro pontos. 
No primeiro encontro, realizado na Arena da Amazônia, o Nacional-AM levou a melhor e garantiu a vitória por 2 a 0. O confronto será dia 6 de setembro, às 18h30 (de Brasília), no estádio Portal da Amazônia.
02 setembro 2015
Editado por Patricky Gabriel Sarturi, Postado por: Pedro Tozzo

Edilsinho diz que VEC criou chance de vencer o jogo, mas cansaço atrapalhou


Vilhena abriu o placar em Boa Vista, mas Náutico-RR virou e venceu a partida. Lobo do Cerrado não treina há uma semana e fez viagem de 26 horas até Boa Vista.


Após anunciar o fim do Vilhena, o time se organizou, viajou até Boa Vista mas sofreu um revés neste domingo, ao perder de virada para o Náutico-RR, pela oitava rodada da Série D do Campeonato Brasileiro. Para Edilsinho, capitão do Lobo do Cerrado, as oportunidades foram criadas, mas o cansaço, tanto pela falta de treinos, quanto pelo tempo da viagem, cerca de 26 horas.
- A verdade foi um jogo bom. Um jogo lá e cá. Criamos oportunidades, acredito que até mais que eles, mas eles criaram também. Perdemos o gol, perdemos oportunidade de matar o jogo e jogando em casa eles se atiraram pra cima e conseguiram o gol no final. E no final a gente cansou. A gente é praticamente vizinho de Roraima, mas teve que rodar o Brasil todo pra chegar aqui. Não é culpa do Adriano, preparador físico, a gente está desde de segunda-feira sem treinar. Mas não é desculpa. A gente jogou com um time bom, que tem qualidade, com a bola no pé sabe jogar. Estão de parabéns! - disse Edilsinho.
Pressão do Náutico-RR dá certo e time roraimense vira o placar (Foto: Nailson Wapichana)Pressão do Náutico-RR dá certo e time roraimense vira o placar (Foto: Nailson Wapichana)
Ainda tendo de refazer o percurso de volta, o capitão do VEC criticou a logística que os times que estão na Série D enfrentam para chegar aos locais dos confrontos.
- Infelizmente tratam a nós da Série D, não só o Vilhena, mas todos os times da Série D, como qualquer coisa. Não tem respeito nenhum por nós. Todos os clubes têm que rodar o Brasil todo pra chegar onde tem que jogar.
O próximo desafio do Vilhena será em casa, no próximo domingo, 6 de setembro. Tentando se manter vivo na competição, Edilsinho afirma que o grupo deve se reunir para avaliar a melhor o resultado em Roraima e tomar uma decisão sobre o futuro do time, diante da crise instaurada na cidade.
- Então, agora é pensar. A gente estava uma semana sem treinar também. Agora é ver com o professor o que é que a gente vai fazer. Não tomar decisão precipitada, porque tem pessoas que dependem da gente. Saber o que é  melhor para o grupo e ver o que é melhor pra nós. 
Editado por Patricky Gabriel Sarturi, Postado por: Pedro Tozzo

Após dúvida sobre permanência na Série D, Vilhena viaja para Boa Vista



Lobo do Cerrado fez viagem de ônibus até MT, de onde segue de avião até RR. Toda a saga deve durar 26 horas, passando ainda por São Paulo, Brasília e Amazonas.


Quase às escondidas e sem muito barulho para não chamar a atenção da imprensa ou mesmo de torcedores, o Vilhena embarcou para o confronto com o Náutico-RR, que acontece às 17h (de Brasília), do próximo domingo (30), no estádio Ribeirão, na capital roraimense. A viagem deve durar cerca de 26 horas, e o time deve passar por quatro estados, além de Rondônia e Roraima. Até o início da noite de quinta-feira, havia dúvida se o grupo viajaria para cumprir o jogo da oitava rodada da Série D do Campeonato Brasileiro. O presidente José Carlos Dalanhol garantiu que mandou o clube fechar as portas e proibiu os jogadores de continuarem os treinamentos.
Mas, por volta da 00h desta sexta-feira, a delegação do Lobo do Cerrado deu início ao longo caminho até o extremo Norte do país. Em Vilhena, quatorze jogadores, mais a comissão técnica saíram de ônibus numa viagem de cerca de 12 horas até o aeroporto em Várzea Grande (MT). De lá, o grupo segue de avião, passando por Guarulhos (SP), Brasília (DF) e Manaus (AM), para enfim chegar em Boa Vista. A previsão é que a delegação chegue em Roraima na madrugada de sábado, por volta das 2h.
Comandado pelo técnico Marcos Birigui, seguiram o goleiro Wagner, os laterais Portela e Maicon; os zagueiros Vinicius, André Morosini e Pablo; os meias Edilsinho e João Victor, os atacantes Souza e Lucas Andrade, e os volantes Cucaú, Dourado e Tuquinha.
Desde a segunda-feira (24), havia a incerteza da continuidade do time na competição. O presidente José Carlos Dalanhol mandou fechar as portas e impediu que os jogadores realizassem os treinos. Com salários atrasados e sem perspectiva de conseguir qualquer patrocínio, Dalanhol não confirmou a desistência da Série D e dizia acreditar que ainda pode haver uma "luz no fim do túnel" para reaver a situação. Porém, o dirigente já falava que os jogadores estariam voltando para suas casas.
Já o capitão da equipe, o meia-atacante Edilsinho anunicou o fim do clube e agradeceu a toda a equipe. Em vídeo gravado na última terça-feira, o jogador disse que havia chegado ao limite e não tinha  mais forças para continuar. Na tarde de quinta-feira, por telefone, Edilsinho disse que ainda não havia nada programado para a viagem e que, provavelmente, a delegação não iria.
GloboEsporte.com tentou falar com o presidente do clube, mas as ligações não foram atendidas. Os jogadores não quiseram dar entrevista.
Náutico-RR e Vilhena se enfrentam no próximo domingo (30), às 17h (de Brasília), no estádio Ribeirão, em Boa Vista. O GloboEsporte.com fará a trasmissão em Tempo Real.
29 agosto 2015
Editado por Patricky Gabriel Sarturi, Postado por: Pedro Tozzo
Tecnologia do Blogger.

MUSEU VIRTUAL

COMPAREÇA AOS JOGOS

COMPAREÇA AOS JOGOS

FUTEBOL DE RONDÔNIA

OFERTAS

LOBOS DO CERRADO

Arquivo

Copyright © Vilhena Esporte Clube - Blog do Torcedor - Criado por João Eduardo Caldeira - Design por Patricky Gabriel Sarturi